ESP8266: O guia básico de Hardware

Desde o inicio das minhas publicações a respeito do ESP em Dezembro de 2014, sempre senti falta de um guia de hardware, já que a maioria das pessoas que me procuram tem certa dificuldade com a parte do hardware. Como os módulos veem em formato para que sejam soldados em placas, e não são compatíveis com o padrão de 2,54mm das barras de pinos e protoboards, sempre há a necessidade de uma solda, digamos, um pouco mais complexa para alguns.

Este guia será de grande ajuda para aqueles que não tem muita experiencia com eletrônica, e também servirá de para aqueles que nunca utilizaram o ESP, como em projetos de TCC ou afins.

Não vou abordar questões de firmware, tais como a programação ou mesmo a atualização de firmware. Isso será um novo guia, focado em firmware.

Para quem tem o Inglês afiado, pode baixar uma literatura complementar neste link.

Historia do ESP8266

O chip ESP8266 foi desenvolvido pela Espressif Systems para atender a um mercado em forte expansão, o mercado de IoT, e foi lançado no mercado em meados de Agosto de 2014.

Já os módulos, são, na grande maioria dos modelos, fabricados pela AI-Thinker.

Desde o lançamento do primeiro modelo, o ESP-01, com um preço de cerca de $3, ele foi ganhando cada vez mais espaço entre os makers e fãs de Arduino, já que é possível programar direto no módulo sem a necessidade de um micro adicional, diferente de como vemos no caso do Arduino e seus shields WiFi.

Anatomia do chip ESP8266EX

O chip desenvolvido pela Espressif, o ESP8266EX, possui 32 pinos (QFN32 – 5x5mm) mais GND central, com uma CPU de 32bits, 16 GPIOs, PWM, ADC de 10bits, SPI, I2C, SDIO, I2S e IR Remote Control.

ESP8266EX Layout

Pinagem do ESP8266EX

A MCU (Micro Controller Unit) utilizada no ESP8266EX é a Tensilica L106 de 32bits e clock de 80MHz, podendo chegar a 160Mhz. A memória RAM é de aproximadamente 50KB.

A alimentação do CHIP é de 3.3v, com um limite inferior de 3.0v e superior de 3,6v.

A temperatura de operação pode variar de -40°C até 125°C.

De acordo com o fabricante, todos os pinos de IO digitais, possuem um circuito de proteção (snap-back) de tensão de até 6v e de inversão de polaridade.

Gerenciamento de energia

O ESP possui 5 estados no gerenciamento de energia:

  • OFF, onde o pino CH_PD está em GND e o RTC é desabilitado.
  • DEEP_SLEEP, onde o RTC está ativo e o resto do chip está desligado.
  • SLEEP, onde o RTC está ativo e o cristal está desabilitado. Qualquer evento de WAKEUP irá colocar o chip em modo ativo.
  • WAKEUP, onde o cristal está ativo e o chip entra em operação normal.
  • ON, o cristal de alta velocidade está ativo.

Pinagem dos módulos

Abaixo seguem as pinagens dos módulos mais utilizados no momento, os ESP-01, 03, 07 e 12.

ESP-01

Pinagem do ESP-01

Onde:

  1. GND
  2. GPIO2
  3. GPIO0
  4. RX
  5. TX
  6. CH_PD
  7. RESET
  8. VCC
ESP-03

Pinagem do ESP-03

O pino ANTENA é para aqueles que querem colocar uma antena externa ao módulo ESP-03.

A pinagem do ESP-07 é idêntica ao ESP-12. O que difere os módulos é a parte da antena, que no ESP-07 é de cerâmica e possui o conector para antena externa. No ESP-12 a antena é de trilha.

esp_pinout_07_12

Pinagem do ESP-07 e ESP-12

Importante: Para os módulos com GPIO15, devemos aterrar o pino para que o ESP inicie com a leitura da memória flash externa. Caso não seja aterrado, o módulo irá tentar iniciar de outra forma e não irá funcionar corretamente.

Ligando o módulo ESP-01 ao FTDI

CUIDADO!!! Os módulos ESP8266 trabalham com a tensão de 3.3v e consomem cerca de 300mA, ou seja, dependendo da capacidade do regulador, o módulo pode não funcionar adequadamente.

Abaixo um modelo de ligação para conversores USB-Serial que não possuem a opção de seleção de 3.3v ou 5v.

Modelo de ligação do ESP e FTDI

Modelo de ligação do ESP e FTDI

Note que o divisor resistivo, para baixar de 5v para, aproximadamente 3.3v só é necessário no TX do adaptador, que será conectado no RX do ESP. O TX do ESP não precisa do conversor, já que o FTDI aceita os 3.3v do ESP.

Dica: Use um capacitor de 10uF na linha de alimentação 3.3v do ESP para “segurar” flutuações nos picos.

Outro ponto importante é sempre usar um resistor de 10kR para pull-up e pull-down. Veja este artigo (em Inglês) a respeito dos resistores de pull-up e pull-down.

Mapa das GPIOs e funções secundárias

Abaixo, segue a tabela com o mapa das GPIOs e as funções de cada uma:

Mapa das GPIOs

Mapa das GPIOs

CUIDADO!!! As portas GPIOs NÃO são tolerantes a 5V! Ao ligar em algum sensor ou micro controlador com tensão de 5V, pode até funcionar por um momento, mas irá danificar ou queimar o módulo após um tempo.

Qualquer GPIO, com exceção da GPIO16, pode ser utilizada com PWM.

As GPIOs fornecem uma corrente máxima de 12mA. Se precisar de mais corrente terá que adicionar um circuito com transistor, MOSFET ou outro componente para servir de driver de corrente.

Abaixo seguem alguns exemplos de circuitos de botões com modos pull-up e modo pull-down:

Circuito de pull-up, quando o estado original é LOW (aterrado) e quando acionado vai para HIGH (em 3.3v).

pullUp

Circuito de pull-up

Circuito de pull-down, quando o estado original é HIGH (3.3v) e quando acionado vai para LOW (aterrado).

pullDown

Circuito de pull-down

Conversor Analogico-Digital (ADC)

O ESP possui um pino, o TOUT, que é um conversor analógico-digital de 10bits de resolução, o que significa que os valores da conversão variam de 0 a 1023.

O ADC do ESP, lê tensões que variam de 0 a 1v, o que significa que muito provavelmente um divisor resistivo será necessário para chegar a essa tensão.

UART (Universal Asynchronous Receiver Transmitter)

Existem 2 UART no ESP, UART0 e UART1. Teoricamente, a velocidade máxima que a UART pode atingir é de aproximadamente 4,5Mbps).

Por padrão, a UART0 exibe algumas informações no momento do BOOT, então algum “lixo” pode aparecer no terminal neste momento.

Nos módulos comerciais, apenas o TX da UART1 está disponibilizado, na GPIO2, que comumente é utilizado para fins de DEBUG.

SPI (Serial Peripheral Interface)

O ESP disponibiliza uma SPI que pode chegar a 80MHz. As GPIOs utilizadas para SPI estão listadas na tabela com o mapa das GPIOs.

I2C (Inter-integrated Circuit Interface)

O ESP também disponibiliza uma I2C nos pinos GPIO14 (SCL) e GPIO2 (SDA) podendo atingir 100kHz.

Espero que este guia lhe ajude!

Happy Hacking!

49 Comments

  1. gustavoortenzi

    Welcome back my friend! Como sempre, belo post! Parabéns!
    Uma dúvida sobre a tensão permitida nos I/Os, sendo que no inicio do post você diz que é suportado até 6V: “De acordo com o fabricante, todos os pinos de IO digitais, possuem um circuito de proteção (snap-back) de tensão de até 6v e de inversão de polaridade.”, e depois, você comenta que não é suportado tensões maiores do que 3V3…

    Reply
    1. pedrominatel

      Gustavo, obrigado.

      No datasheet da Espressif tem essa informação, porém não quer dizer que o chip é tolerante a está tensão, já que no mesmo não cita a forma e o limite inicial de atuação da proteção.
      Não quero testar em um dos meus ESPs.

      Abrs!

      Reply
  2. Marcelo de Alencar

    Parabens… Ficou muito bom o artigo.
    Gostaria de ver um artigo de como ligar relês nele sem o arduino.

    Marcelo.

    Reply
    1. pedrominatel

      Marcelo, uma boa dica para um artigo!

      Obrigado

      Reply
      1. cyberlacs

        Você já fez o post em relação a ligar um Relê ?

        Reply
  3. Ari

    Boa Pedro, segue em frente.

    Reply
  4. João Paulo

    Muito bom o artigo! Parabéns!!!!

    Reply
  5. Igor Carvalho

    Como usa-lo sem o FTDI?

    Reply
    1. Pedro Minatel (Post author)

      Igor, tem como usar com um Arduíno ou qualquer adaptador Serial-USB. Não se esqueça que o ESP trabalha com 3.3v e a maioria dos adaptadores são 5v.
      Para programar ou atualizar o firmware do ESP, é necessário o adaptador Serial.

      Reply
      1. Breno Barbosa

        Tenho um FTDI com um pino de 3,3v, posso usá-lo para alimentar o ESP?

        Reply
        1. Pedro Minatel (Post author)

          Breno, o FTDI tem um regulador 3.3 interno mas que não fornece corrente suficiente para o ESP operar com WiFi. Você consegue programar mas não vai conseguir usá-lo com WiFi.

          Reply
          1. Breno Barbosa

            Obrigado.

  6. Igor Carvalho

    Digo, como usar o ESP 8266 01 sem o FTDI?

    Reply
  7. franklin

    COMPREI UM ESP8266-07 CONSIGO ENCHERGAR A REDE WIFI CRIADA POR ELE, QUANDO ATERRO O RESET VEJO UNS VALORES ESQUIZITOS NO MONITOR DO ARDUINO , POREM QUANDO VOU DESCARREGAR O PROGRAMA PARA ELE DA ERRO DE CONEXÃO O QUE PODE SER? O PROMADOR DO ARDUINO ESTA SELECIONADO COMO USBasp

    Reply
  8. HENRIQUE

    NO MODULO ESP-12E POSSO LIGAR O GPIO0 E GPIO15 DIRETO NO GND E O CH_PD DIRETOR NO 3.3V?

    Reply
    1. Pedro Minatel (Post author)

      Henrique, pode, mas o ideal é utilizar um resistor de 10k

      Reply
  9. HENRIQUE

    Comprei 5 modulos ESP12E e um node mcu V3 da LOLIN para testar…
    No nodeMCu consigo enviar comandos AT e reprogramar a flash…
    Nos modulos não consigo obter comunicação, estou utilizando um Arduino Mega2560…
    fiz a seguinte ligação entre o esp12e e o arduino:

    ESP12 TXD => ARDUINO RXD2 COM RESISTOR DE 1K EM SERIE.
    ESP12 RXD 3V3
    ESP12 CH_PD => 3V3
    ESP12 VCC => 3V3
    ESP12 GND => GND
    ESP12 GPIO15 => GND
    ESP12 GPIO0 => 3V3

    LIGANDO DESTA FORMA , ENVIO O COMANDO AT PELA SERIAL E NAO TENHO RESPOSTA…
    SERÁ QUE OS MODULOS ESTAO SEM O FIRMWARE AT?
    ALGUEM JA PASSOU POR ESTE PROBLEMA?
    SERÁ QUE ESTOU LIGANDO OS PINOS CORRETAMENTE?
    ESTOU VISUALIZANDO A RECEPÃO DE DADOS COM OSCILOSCOPIO…
    jÁ TESTEI COM 3 MODULOS E NADA…

    Reply
  10. HENRIQUE

    NO ESP12 RXD ESTOU UTILIZANDO UM CIRCUITO PARA COMPATIBILIZR O NIVEL LOGICO TTL DO ARDUINO PARA 3V3.

    Reply
  11. Henrique

    Pessoal, consegui fazer os modulos funcionarem…
    Estavam vindo de farica sem o firmware AT.
    Atualizei a flash com o firmware AT.
    Utilizeu um Arduino Leoanrdo de 3v3 para programar a flash…

    Reply
    1. Alciomar Alves

      Vc falou q conseguiu faze-los funcionarem! Como vc fez isso?

      Reply
  12. Marcelo de Oliveira

    Tenho dúvidas quanto ao uso dos sensores disponíveis no mercado considerando que a maioria são construídos para microcontroladores Arduíno, Texas MSP430 e outros que trabalham alimentados por 5vdc. Considerando que a voltagem no +vcc é utilizada como base para a amostragem no output do sensor (estou certo?), a utilização dos sensores do Arduíno e outros no ESP8266 se torna transparente (só ligar e medir)…ou seria necessário alimentar o sensor com os 5vdc solicitados e adicionar um divisor de tensão para uma queda de 3,3V no output do sensor para o ESP8266 para uma medição precisa? Obrigado.

    Reply
  13. rud57jose durante

    Como fixar o ESP 8266 na placa de expansão? Além de soldar os pinos na mesma placa.

    Reply
  14. Wesley Rosa

    Parabéns, belo material, já coloquei nos favoritos.
    Sou desenvolvedor java android e estou começando agora com IOT estou com um projeto em mente para servir como base de aprendizado, gostaria de ajuda dos amigos pois a parte de eletrônica ainda não tenho conhecimento suficiente.
    O projeto é relativamento simples, consiste em um controle remoto ir para ar condicionado, apenas com o esp8266, que será controlado pelo app android. Minha primeira dificuldade é justamente a parte do esquema elétrico, ficaria muito feliz se alguém que já tem experiencia me ajudasse nisso.

    Abraço

    Reply
    1. Pedro Minatel (Post author)

      Wesley, existem alguns projetos com o ESP e IR na internet. De uma pesquisada em Inglês que é mais fácil de achar os exemplos.

      Reply
  15. Fernando

    Boa noite. Estou com o ESP-12 e quando eu ligo o pino CH_PD no 3.3V a tensão do circuito cai para menos de 1 V. Alguém tem alguma ideia do que seja?

    CH_PD -> VCC
    CPIO15-> GND

    Reply
    1. Pedro Minatel (Post author)

      Fernando, qual a corrente maxima da fonte 3.3v? Isso tá com cara que a fonte não tá conseguindo fornecer a corrente que o ESP precisa, cerca de 200mA de pico.

      Reply
      1. Edilson Maia Favero

        Excelente tutorial Pedro. Fiquei com uma dúvida e não quero testar.

        Tenho uma bateria de exatos 3.3V com 1A de potencia = 1000MA

        Minha dúvida é, se eu deixar toda essa potencia para o esp pode queima-lo?
        Ou eu devo baixa-la usando resistores?

        Reply
        1. Roger Luiz

          Acho que corrente não tem problema, porque ele vai puxar só o que vai usar. Teria problema se fosse uma tensão maior, mas não é o caso.

          Reply
  16. Pingback: Programando a ESP8266 NodeMCU ESP12-E no Mac OS X | Neto Marin

  17. Marcio Gesualdi

    Bom dia Pedro Miguel, gostaria de tirar uma dúvida a respeito do ESP8266, olhando as matérias pela net não ficou claro para min:

    01 – Falam que a distância de alcance do esp8266 é de mais ou menos de 100m , essa distância é referente ao roteador ,pois quando você tem um IP, acho que pode acessar em qualquer parte do mundo. Esse raciocínio esta correto ou essa distância esta limitada em 100 metros?
    No meu projeto vou usar APC220 que tem uma distância de 1000m em área aberta , logo se o alcance do esp8266 for de 100 metros , claro que meu projeto ficaria com APC220. Se o esp8266 posso acessar em qualquer parte do mundo a opção seria sua escolha.

    Minha dúvida é o alcance real do ESP8266 se é 100m ou acesso a qualquer parte do mundo?

    Abraço a todos e grato pela atenção.

    Reply
    1. Daniel Ribeiro

      Marcio,
      O ESP8266 funciona como Access Point ou Cliente wi-fi, porém, para a maioria das aplicações, a necessidade é pelo modo Cliente.
      Entenda-se por modo cliente o mesmo que o seu celular, por exemplo, ao se conectar num AP wi-fi para navegar na internet ou rede LAN.
      Quando se diz que o alcance é de até 100m, essa é a distância que o ESP8266 pode estar de um AP e ainda assim coneseguir se conectar e ter acesso à rede. Essa distância vai depender da potência do AP e do meio onde o sinal está se propagando, já que a frequência empregada (~2.1GHz) é bastante suscetível a atenuações e interferências.
      Se num raio de 100m você tiver um AP onde você possa conectar o ESP8266, em qualquer parte do mundo você ingressará na internet.
      O diferencial do ESP8266 é a presença da stack TCP/IP e a implementação do standard 802.11 b/g/n, isso permite o ingresso de sua aplicação diretamente na internet, sem a necessidade de um gateway, o que provavelmente você precisará no caso do APC220, que implementada somente camada física (não compatível com o padrão 802.11 b/g/n, caso queira que seus dados cheguem até a internet.
      De um modo geral, eles servem para aplicações diferentes. Você poderia por exemplo ter um rede baseada no APC220, com topologia estrela, e no nó central colocar ambos, APC220 e ESP8266, conectados pela UART, sendo o ESP8266 o gateway com a internet, caso você precise disponibilizar seus dados externamente (nesse ponto vale destacar a possibilidade de utilizaro protocolo MQTT diretamente no ESP8266).
      Espero ter esclarecido um pouco.
      Abraço

      Reply
    2. Pedro Minatel (Post author)

      Márcio, depende muito do tipo de antena e do seu roteador. Já vi testes em que o ESP chega a 1000 metros, mas isso vai depender muito da sua configuração.

      A melhor forma seria uma experiência com os equipamentos que você dispõe.

      Reply
  18. Marcio Gesualdi

    Pedro Minatel me desculpa digitei seu nome errado ( Pedro Miguel).

    Reply
    1. Pedro Minatel (Post author)

      Sem problemas!

      Reply
  19. gersonroj (@gersonroj)

    Muito bom ! muito informativo e esclarecedor ! eu e outros que viemos da família TTL pensamos logo, tudo, I/O, trabalhando com 5V o que danificaria o componente ! mas com CPU de 32bits, 16 GPIOs, PWM, ADC de 10bits, SPI, I2C, SDIO, I2S e IR Remote Control, já começamos sonhar com suas infinitas possibilidades !

    Reply
  20. Marcel Philippe Abreu Andrade

    Desculpe pela pergunta pessoal, mas eu entendi para que serve o plug USB no esquemático. A placa FTDI já não faz a conversão USB para serial para fazer a gravação no módulo ESP8266?. Eu estou meio perdido nessa parte como eu faço para fazer a gravação do firmware utilizando a IDE do Arduíno e a placa FTDI no ESP8266? Será que alguém poderia me ajudar?

    Reply
    1. Pedro Minatel (Post author)

      Marcel, o FTDI não consegue fornecer corrente suficiente para o ESP operar com o WiFi ligado. Você consegue até programar, mas não conseguirá utilizar o WiFi ligado.
      Nesse caso, eu uso uma fonte 5V externa e um regulador de tensão de 3.3V.

      Reply
      1. Marcel Philippe Abreu Andrade

        Brigado Pedro por tirar minha dúvida, agora eu entendi a porta USB que você utilizou é uma fonte de 5V e você utilizou um regulador de tensão para abaixar a tensão de 5V para 3.3 volts que é a tensão que o ESP8266 deve utilizar e os dois botões Reset e Boot Mode servem para fazer o upload do programa para o ESP8266, para que eu possa utiliza-lo como Wi-Fi. Muito obrigado pela atenção Pedro.

        Reply
  21. Marcel Philippe Abreu Andrade

    Será que se eu fizer a montagem esquemática conforme esse artigo (http://blog.filipeflop.com/wireless/upgrade-de-firmware-do-modulo-esp8266.html#comment-123249) também da certo? Pois eu estou pensando em fazer a montagem esquemática, conforme este artigo e fazer a programação do firmware seguindo o artigo do Pedro Bertoleti (https://www.embarcados.com.br/estacao-de-medicao-de-temperatura-com-arduino-e-iot-comunicacao/), que é baixar a biblioteca do ESP8266 ESP01 no Arduino. Vocês acham que dará certo? Pois pelo que eu entendi como eu vou usar o ESP8266 ESP01 como Wi-Fi eu tenho que fazer o boot/reset para gravar o meu código no ESP8266 estou certo?

    Reply
    1. Pedro Minatel (Post author)

      Marcel, se seguir esses tutoriais não tem erro! Se tiver alguma dúvida coloque aqui nos comentários!!

      Reply
      1. Marcel Philippe Abreu Andrade

        Pedro desculpa, minha dúvida tinha a ver com o seu circuito mesmo é que você utilizou uma porta USB, mas agora eu entendi é uma fonte de 5V é por isso que eu estava querendo utilizar o circuito do outro artigo, mas agora eu entendi a porta USB é uma fonte de 5V, muito obrigado Pedro por responder a minha dúvida.

        Reply
  22. Marcel Philippe Abreu Andrade

    Pedro desculpa pela minha falta de conhecimento no ESP8266 é que sou novo nessa parte de embarcados e estou fazendo o meu TCC e tenho apenas 3 meses para faze-lo e estou utilizando o ESP8266 ESP-01. Eu vi em um outro tutorial seu http://pedrominatel.com.br/pt/arduino/como-utilizar-o-esp8266-com-a-ide-arduino-instalando-o-modulo/ como se faz para configurar a IDE do Arduíno para programar o ESP8266 ESP-01, gostaria de parabenizá-lo pelo tutorial muito bom, eu fiz tudo conforme você fez, mas depois que eu instalei a biblioteca do ESP8266 pelo Boards Manager eu não estou conseguindo mais compilar (verificar) os meus sketches no Arduino, antes de de fazer essa instalação estava tudo normal, a barra de compilação carrega só até uma parte, mas depois ela trava e eu percebi também que depois que eu fecho a IDE do Arduino e vou em gerenciador de tarefas detalhes eu percebo que o arduino-builder.exe não é encerrado, não sei se isso tem haver e eu também não estou com placa conectada no meu PC eu apenas estou verificando o programa. Eu estou usando a versão 1.6.13 do Arduino e estou usando também o Windows 10, você acha que isso tem haver com a versão do Arduino ou pode ser um problema do Windows 10? Desculpa por fazer uma pergunta de um outro tutorial seu aqui, mas é que são assuntos interligados, também quis colocar essa questão aqui pois pode ser que alguém já tenha passado por isso ou venha passar. Estou enviando o link do print do meu problema: https://www.dropbox.com/s/8145ld1qfd76rta/Print%20do%20Problema.png?dl=0

    Obrigado pela atenção.

    Reply
    1. Pedro Minatel (Post author)

      Marcel, tente instalar uma versão mais antiga da IDE. Eu uso no Linux, não sei exatamente os problemas no Windows.

      Reply
      1. Marcel Philippe Abreu Andrade

        Beleza Pedro, irei fazer isso para ver, mas eu acho que é só a primeira vez que eu compilo o sketch a primeira vez que compilo sempre trava o processo no Windows já as outras vezes que compilo demora um tempo razoável, mas compila, bom deve ser essa versão da IDE do Arduino ou então deve ser essa versão do Boards Manager ESP8266, mas caso continua eu vou tentar instalar uma versão mais antiga da IDE do Arduino, então. Muito Obrigado!!!

        Reply
  23. Marcel Philippe Abreu Andrade

    Beleza Pedro, irei fazer isso para ver, mas eu acho que é só a primeira vez que eu compilo o sketch a primeira vez que compilo sempre trava o processo no Windows já as outras vezes que compilo demora um tempo razoável, mas compila, bom deve ser essa versão da IDE do Arduino ou então deve ser essa versão do Boards Manager ESP8266, mas caso continua eu vou tentar instalar uma versão mais antiga da IDE do Arduino, então. Muito Obrigado!!!

    Reply
  24. Marcel Philippe Abreu Andrade

    Pedro desculpa novamente pelo incomodo, mas é que eu estou com um pouco de dúvidas em relação a sua montagem esquemática do circuito. Eu tenho uma fonte ajustável de protoboard, ela fornece uma tensão de 3.3V no caso eu tirei o regulador de tensão e fiz a ligação direta do GND e do VCC no ESP8266 e eu também estou usando um resistor de 2K2, pois eu não encontrei um resistor de 2K, essas foram as únicas coisas que eu alterei no seu circuito, mas eu tento carregar o meu código e tenho o seguinte erro:

    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    error: failed reading byte
    warning: espcomm_send_command: cant receive slip payload data
    warning: espcomm_sync failed
    error: espcomm_open failed

    Você acha que isso seria um problema no meu circuito?

    Não sei se estou fazendo certo antes de carregar o meu código eu aperto o reset e boot mode e depois solto ai sim eu carrego o meu código!

    Reply
    1. Marcel Philippe Abreu Andrade

      Pedro eu já resolvi eu estava fazendo a ligação. Valeu brigado!!!

      Reply
      1. Marcel Philippe Abreu Andrade

        Ligação Errada.

        Reply
  25. Renan

    Fala Pedro, tudo bom? Preciso de uma ajuda…. eu preciso usar a GPIO2 como INPUT e a GPIO0 como OUTPUT. Não estou conseguindo chegar numa solução para manter os dois pinos sempre como UP no meu circuito quando liga. Isso porque o GPIO2 recebe 1 se a lampada estiver desligada e 0 se estiver ligada. Meu relé do circuito está em paralelo com o interruptor do cômodo. Se caso piscar a energia de casa e a lampada estiver acesa pelo interruptor, meu GPIO2 irá receber 0, assim fazendo o boot do ESP-01 de forma incorreta. Me da essa força… não consigo pensar numa solução mesmo usando o pull up.

    Reply

Deixe seu comentário